Auxílio Emergencial deve voltar em
março e por até 4 meses, diz Bolsonaro

O presidente da República, Jair Bolsonaro, afirmou nesta quinta-feira, 11, que uma nova rodada do auxílio emergencial deve ser paga a partir de março e por um período de até quatro meses.

Para que a liberação possa acontecer parte do poder Executivo e Congresso estão alinhando o pagamento da nova rodada. Com relação aos novos valores do Auxílio Emergencial o presidente não deu pistas. Porém o ministro da Economia, Paulo Guedes é favorável para que o auxílio comece a pagar R$ 250 e em seguida passe a pagar R$ 200, o que seria um valor semelhante ao pago pelo Bolsa Família.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, já disse que a ideia é atender à metade dos 64 milhões de beneficiários que receberam no ano passado. Nem o presidente nem o ministro disseram como vão ser os critérios de seleção.

Paulo Guedes pretende atrelar a manutenção do benefício emergencial com a urgência das reformas e uma base jurídica (que poderia ser uma cláusula de calamidade ou uma nova versão da PEC do orçamento de guerra para permitir ao governo ampliar os gastos fora de amarras fiscais).

Para o ministro é importante que a Câmara aprove as privatizações bem como o congelamento do salário dos servidores públicos. Para Guedes essa seria a melhor saída para custear os pagamentos do auxílio emergencial.

A “PEC de guerra”, que se espera esteja aprovada até a primeira semana de março, conterá uma versão mais compacta de medidas fiscais com base em um texto que já está no Senado, o do pacto federativo, que tem como relator o senador Márcio Bittar (MDB-AC).